E se fosses tu?

Oi pessoal,

 

Senti-me na obrigação de vos dar material novo... daquele que cheira a fresco, daquele que o amaciador já fez maravilhas e o enrolou em algodão.

Só os meus olhos o virão quando o escrevi e mesmo assim, não ficaram surpreendidos com a mensagem...

Bem, mas a pergunta hoje é simples...

E se fosses tu? 

A que me refiro? Bem, a tudo... mas... já tentaste mudar de pessoa, de sítio, de ideal?

Quando não gostares do que te fazem, muda de pessoa... voa!

Quando não gostares do que sentes, muda de sítio... voa!

Quando não gostares do que dás, muda de ideal... voa!

Só nunca mudes de ti... e não penses em limitações...

Todos temos um dia em que aprendemos a voar!

É oficial...

Oi pessoal,

 

Sim... é oficial!

A pedido de várias pessoas próximas e que de uma ou outra forma, estão perto de mim, física ou mentalmente... ovizinhodarua está cá.

 

Não forçarei, porque tudo o que é forçado não trás resultados válidos e não é genuíno... seja inventado ou real, terá que ser genuíno... e genuíno para mim, é tudo aquilo sobre o que faça sentido escrever, expôr, revelar...

 

A ver vamos se gostam ou não... o contador de visitantes, também está lá para isso. 😉

Um dia um garoto solitário, como eu, cruzou-se comigo pela sua arte, pelo seu dom... é brasileiro e nunca estive com ele...

No início desse conhecimento, mandei-lhe uma mensagem, para que não parasse nunca e que o pedia claro, por apreciar o seu trabalho.

Hoje, aqui com o meu ovizinhodarua, e depois de ver que as minhas publicações partilhadas no fb despoletaram "likes" na sua página, dou-lhe destaque.

Desenhos de um garoto solitário...

Arte pura!

Oi pessoal... 

 

Já começa a ser habitual esta minha maneira de vos saudar 😉

Pois... acho que também faz parte da minha maneira de estar.

Bem... hoje aconteceram coisas estranhas e senti necessidade de escrever... não de vos contar o que aconteceu, mas de escrever... 😉

 

Primeiro, tenham bastante cuidado com as empresas de electricidade... e não se tornem como elas... nós somos todos humanos... e reações e acções, não devem chegar ao ponto, de um tipo de um interruptor com duas posições... On e Off (Ligado e Desligado).

Tente não ligar ou desligar alguém... e se o fizer pelo menos, tenha a coragem de lhe dizer cara a cara, que o fez... Dê hipótese que aplaudam essas atitudes nobres!

 

Segundo, nunca se esqueçam de fazer o bem a quem não entenda o porquê de você continuar a fazê-lo, a quem te maltrata, ignora ou subjuga... vai deixar essa pessoa a pensar por infindáveis momentos e a mesma, nunca achará a resposta à pergunta: 

- Esse ser é mesmo de cá? Ou só veio ver a bola?

E mesmo que ninguém note, que você é um Zlatan Ibrahimovic, num corpo de ET, mais cedo ou mais tarde (tipo leito de morte...) reconhecerão a sua essência...

 

Terceiro... aproveitem... aproveitem tudo. Não vão em cantigas e para os mais "experientes" que se lembram daquele anúncio de comida para cão (esses que por vezes, tem mais sorte que... "nosotros") onde se dizia que... "restos não é uma boa alimentação!", contraponham e digam que tudo o que aquece a alma e lhe dá de comer, só pode ser bem digerido... por mais migalha que seja!

 

Quarto... (está a ficar extenso, não está? 😉) perdoem... dentro das vossas capacidades de lidar com todos lá fora, por esse Mundo... perdoem... mesmo que isso vos doa mais, que não perdoar a quem vos magoou...  irão sentir leveza de processos e será ágil e prática a maneira de utilizar a experiência que ganharam!

 

Quinto... acreditem... em vocês, nos outros e marquem... quer seja golos, quer seja só uma posição, mas marquem. Um bom Amigo, dizia-me por estes dias... Pedro, com duas pernas no chão, lado a lado uma da outra, não avanças... Se porventura, estiveres apoiado numa só, crias instabilidade, desequilíbrio, mas avanças normalmente... Façam isso, vão à luta, sejam determinados na força e acutilantes no objectivo.

 

Tinha mais para dizer, mas já não me apetece... 

Só lembrar que a leitura deste texto, pode levar a uma série de perguntas, para as quais não tem resposta, mas... dê tempo ao tempo e lembre-se, que é no tempo... é lá, onde se guardam a maior parte das respostas...

 

Seja paciente e não queime etapas...

Oi pessoal... 

 

Da mesma maneira que hoje e depois de tanto tempo, fiquei apeado, gostava de vos fazer uma pergunta... 

Há quanto tempo vocês não se cortam? Sim, leram bem... Nada de masoquismos ou outras cenas maradas, mas cortar... tipo com aquelas lâminas chamadas folhas de papel ou então, com aquela faca acabada de afiar, para cortar o queijo e juntar à marmelada...

Bem... é que só vos pergunto isto, porque achei curioso o facto, de só quando nos dói e vemos aquele líquido vermelho maravilhoso, sabemos que estamos de contacto com a realidade... pelo menos e por vezes, eu sou assim... 

Só de tempos a tempos, eu percebo que sou humano e a vida, aquela que nos faz entrar em piloto automático, obriga-nos a automatizar tudo e o meu amigo tempo, esse meu amigo, que tanta falta me faz, ainda agrava mais essa situação. 

O robot vai-se e entra o humano, quando o branco corta a carne e o vermelho vem ao de cima... a dor? 

 

Essa, toda a gente a conhece... 

Oi pessoal, 

 

Por esta altura estarão a pensar, porque escrevo neste dia e principalmente nesta hora, quando normalmente já estaria a sair ou já estaria montado na BMC...

Pois... por aqui... dizia-se ontem, 2016, que hoje era a primeira página dum tal livro branco... e que a primeira página tínhamos que a escrever bem... 

Que bem... que politicamente correcto... só que a Vida não pára e a história já vem de trás.

Podemos sim, cortar, aumentar, suprimir, enfatizar o que quisermos e para 2017, assim o farei!

A de hoje está escrita... a última lá falaremos para mais tarde... se por aqui ainda andarmos todos...

 

Fiquem bem...

Ah... o Medo... 

 

Esse papão, que faz as crianças se esconderem debaixo da fortaleza a que chamamos de lençóis...

Esse que faz, com que fracos não vão mais além e corajosos não saibam quando parar...

Esse que faz, com que se insista no errado, perdendo o certo...

Aquele, que depois de superado, dá adrenalina e alegria de viver... nos faz sentir vivos por dentro... 

Aquele, que não ultrapassado, nos leva por lugares tenebrosos, por dúvidas infinitas, com vontade de parar, chorar e deitar a toalha ao chão.

O seu limite, a sua definição... 

Quem o põe? 

Quem o define? 

Quem o ultrapassa? 

Quem são os medrosos? 

Quem são os resistentes? 

Quem são os lutadores, que sabem que terão sempre medo e ele estará sempre lá, mas continuam, dia após dia... 

Serão lutadores ou simplesmente idiotas, por saberem que devido a ele e à sua falta de fé e esperança, nunca lá chegarão... mas vão vivendo... com a pouca ou nenhuma resta destas duas... 

É uma palavra curta, uma palavra simples... mas de um sentimento enorme e de uma complexidade tal, que por mais linhas que se escreva, voltámos sempre ao início... 

Ah... o Medo...